.

I N T E R N A U T A S -M I S S I O N Á R I O S

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Comentários-Prof.Fernando


Comentários-Prof.Fernando(*) http://homiliadominical.blogspot.com.br

16ºdom.tempoComum (8ºpósPent.) 22julho2012–o pastor garante paz e amizade–

RESUMO reunirei minhas ovelhas de todos os países  - não sofrerão mais o medo e a angústia Jr 23,1-6
 O Senhor é o pastor que me conduz - Felicidade e todo bem hão de seguir-me Sl 23
veio anunciar a paz a vós, que estáveis longe, e a paz aos que estavam próximos. Ef 2,13-18
Vendo a multidão teve compaixão porque eram como ovelhas sem pastor: começou a ensinar-lhes muitas coisas. Mc6,30-34

O dom da paz (Salmo) anuncia o retorno (Jeremias) para todos (Efésios)
·         O profeta Jeremias descreve a consolação prometida aos exilados de Israel. Podemos imaginar alegria semelhante, como a dos soldados que voltam para casa depois de obrigados a lutar em outras terras (Afeganistão, Iraque e outras regiões de conflito).  Imaginemos os emigrantes quando retornam para sua terra  (ao menos de passagem) porque um dia saíram buscando trabalho e emprego em outros países. Imaginemos filhos e pais que voltam depois de um tempo morando longe, viajando a a negócios ou a passeio. Imaginemos a volta nos fins de semana dos que têm de estudar ou trabalhar em outra cidade longe de casa.
·         Também Isaías (c.57,v19) anuncia a paz que a Carta aos Efésios repete: paz, paz, aos de longe e aos de perto. Nos dois livros a referência é sempre o dom de Deus dado a todos os povos. Povos fora de Israel receberão a mesma Paz anunciada aos descendentes de Davi. E no cristianismo primitivo, tanto os de origem pagã como os oriundos do judaísmo, recebem a a mesma Paz, reconciliação e perdão.
·         A paz bíblica se diz em hebraico SHALOM. A paz não é só ausência de guerra ou de violência, mas inclui o que o salmo 23 diz: se o Senhor é meu pastor então me acompanham todos os dias “o bem e o amor-de-benevolência” = em hebraico Towb e hesed ) que a versão latina traduziu por “benignidade e misericórdia”, e o grego (versão da Septuaginta) traz na palavra éleos o sentido de misericórdia. Trata-se na Bíblia do “amor gratuito de Deus” que é comparado ao sentimento de amizade onde os laços afetivos existente num grupo humano são: favor, bondade, etc.

O Mestre de Nazaré comoveu-se em suas entranhas
·         O texto original de Marcos diz que Jesus “se comoveu desde as entranhas” (o que se traduz por ficou cheio de compaixão) em relação às pessoas, pois elas eram “como ovelhas sem pastor”. E sua reação foi a de lhes ensinar muitas coisas.
·         Não é educação para a liberdade a necessidade maior de nosso tempo? As pessoas, famílias, sociedades, seguimos muitos “gurus”, muito noticiário, muito programa de auditório, até muita pregação em nome de Deus... Vivemos num pluralismo de opiniões com um único “dogma” (aceito cegamente pela maioria): cada um faz o que quer.
·         Seria até bom se as pessoas escolhessem o que “querem. Se fizessem suas escolhas com liberdade. Na prática, é mais fácil concordar com a massa, com o “todo mundo faz assim”... (Não é assim que acabam sendo eleitos os maus políticos? Porque a imagem deles vendida pelo marketing passa por cima de nosso discernimento...)
·         Se alguma coisa Mestre de Nazaré iria ensinar atualmente talvez fosse: Que cada um olhe dentro de si (onde Deus está). Aí se buscariam perguntas e respostas, sobretudo as éticas, mesmo que fosse necessário ir às vezes contra a correnteza. T.Merton, um místico de nosso tempo, nos ajuda ao escrever: "A vida consiste em aprender a viver de maneira autônoma, espontânea e livremente. Para isso é preciso reconhecer-se a si mesmo (...) significa, basicamente, aprender quem somos e aprender o que temos para oferecer ao mundo contemporâneo; depois, aprender a como fazer para que essa oferta seja válida”.“O homem bom vem de Deus e volta para ele, começando pelo dom de existir e pelas capacidades que Deus lhe deu. Alcançando a idade da razão começa a fazer opções." (**. Amor e Vida, SP, M.Fontes, 2004, 3 ; cf. Na liberdade da solidão, Petrópolis, Vozes, 2001,20)

oooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo
(*) Prof. (USU-Rio) mestre (educação/ teologia/ t.moral). Consultoria: fesomor2@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário