.

I N T E R N A U T A S -M I S S I O N Á R I O S

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Comentários-Prof.Fernando


Comentários-Prof.Fernando (*) http://homiliadominical.blogspot.com.br

17ºdom.t.Comum (9ºpósPent.) 29julho2012 –a fome saciada: ele está perto–

RESUMO trouxe para Eliseu vinte pães de cevada e trigo, Disse EliseuDá ao povo para comer 2Rs 4,42-44
● vós dais no tempo certo o alimento. Ele está perto da pessoa que o invoca Sl 145
● Um só Senhor uma fé um batismo um só Deus Pai de todos agindo por meio de todos está em todos Ef 4,1-6
● Vendo a multidão diz (para pô-lo a prova) a Filipe: “Onde comprar pão para eles? André disse: um menino aqui tem cinco pães e dois peixes. Jesus tomou os pães, deu graças e distribuiu-os fazendo o mesmo com os peixes. Todos ficaram saciados. Vendo o sinal exclamavam: “Este é o Profeta”.  Notando que queriam proclamá-lo rei, Jesus retirou-se de novo sozinho para o monte. Jo 6,1-15

Um terrível problema

·         A fome ó maior entre os 10 maiores riscos à saúde no mundo, mata mais que tubercolose, Aids e malária juntas. Hoje são quase um Bilhão de pessoas com fome (relatórios de outubro/2011) segundo as 3 maiores agências da ONU: Fundo para a  Agricultura e Alimentação, para o Desenvolvimento agrícola e o Programa mundial de Alimentos.
·         No Brasil a fome (em números redondos) cerca de 30 milhões. E os políticos divergem (por outros interesses) se para cerca de 15 milhões o Bolsa Família é solução ou só adia a solução. Diz a Embrapa (pesquisa agropecuária) que o Brasil desperdiça 35% da produção (problemas de armazenamento, transporte, desinformação). Só Ceagesp em S.Paulo joga no lixo 1% de frutas e hortaliças (seria aproveitável para consumo: 40%).
·         No mundo mais da metade dos famintos estão na África e na Ásia. Mas também há fome em países desenvolvidos e nos países em desenvolvimento a terça parte das mortes de menores de 5 anos são causadas pela /;desnutrição?
·         A fome é o único grande problema solucionável que o mundo enfrenta hoje. Mas os que têm efetivamente poder (não só governos mais a ganância de grandes empresas) preferem os lucros da guerra (comparar investimentos em armamentos e o aplicado em tecnologia para a produção de comida e para segurança alimentar).
·         Órgãos públicos e internacionais e uma infinidade de Ongs, igrejas, obras sociais locais, trabalham contra a fome. Esforços concretos para melhorar a a produção a menor custo para os alimentos, comercialização e distribuição, precisam da inteligência de cientistas, economistas e técnicos além de empresas e governos. Ao cidadão comum resta a solidariedade, o voto democrático e a contribuição anônima (pela internet pode-se ajudar crianças, ou doar 1 dólar contra a desnutrição, por ex., em “Médicos sem Fronteiras” – mas há dezenas de outras organizações confiáveis).

Meditação

·         Além da preocupação direta (dar de comer a quem tem fome), tanto o episódio do profeta Eliseu como a famosa “multiplicação dos pães” leva-nos a refletir sobre o mistério mais profundo da vida. A fé também impulsiona para a solidariedade: há milhares de atuações de muitas igrejas cristãs. Mas há outras tantas Ongs, além da ONU e de governos sérios que fazem a “vontade de Deus” mesmo sem a fé.
·         Quem crê sabe (como diz o Salmo) que Ele está ao lado do ser humano que o invoca. E a todos dá o ser tanto da matéria inorgânica como a vida da planta ou do peixe (alimentos). Um editor esperto um dia teve idéia de chamar de “partícula de Deus” a previsão de um cientista. Hoje o “bóson de Higgs” (uma vez confirmado em laboratório) é grande descoberta da física atual. Mas não existe “partícula de Deus”. Com Paulo é melhor compará-lo a um Pai: de todos, agindo por meio de todos, estando dentro de todos.
·         A fartura que sacia multidões é um “sinal” dessa Presença. Como o Sinal da Eucaristia é alimento dado diretamente pela vida de Deus para correr nas veias da humanidade. Só o dom distribui a vida, alimenta, dá forças, causa união entre pessoas e povos. Não deseja virar “rei” ou dominar as massas.
·         Se alguém acha que o texto só remete ao pão e ao vinho da Ceia, deve reler a parábola de Mateus cap. 25: só entra no “Reino” quem cuidar também dos famintos. Sem isso realizar a Ceia, celebrar a Eucaristia ou comungar vira ritual exterior. E sem valor.

oooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo
(*) Prof. (USU-Rio) mestre (educação/ teologia/ t.moral). consultoria: fesomor2@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário