.

I N T E R N A U T A S -M I S S I O N Á R I O S

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Comentários Prof.Fernando


Comentários Prof.Fernando (*) 09setembro2012 in: http://homiliadominical.blogspot.com.br
23ºd.t.Comum (15pósPent.) aos surdos faz ouvir e aos mudos falar

RESUMOS ● Então se abrirão os olhos dos cegos, os ouvidos dos surdos e o coxo saltará - se desatará a língua dos mudos  - assim como brotarão águas no deserto (Is 35,4-7a)
● imaginai se na vossa reunião entra uma pessoa rica e bem vestida e um pobre com sua roupa surrada: se dais atenção a um (vem sentar-te aqui) mas ao outro (Fica aí, de pé) não é discriminação? Deus escolheu os pobres para serem ricos na fé e seus herdeiros (Tg2,1-5)
● Olhando para o céu, suspirou e disse: 'Efatá! (que se traduz: 'Abre-te!') mediatamente seus ouvidos se abriram sua língua se soltou  (Mc 7,31-37)

OS CINCO SENTIDOS HUMANOS SÃO MUITOS... INCLUEM PENSAR, AMAR, FALAR
·           Em muitas passagens das Escrituras temos estas imagens: o cego à margem da estrada, o cego guiando outro cego leva ambos para o buraco; o cego de nascença que viu e acreditou. O livro de Jó(42,5) em seu clímax ou ponto mais alto traz essa expressão: “eu não te conhecia senão por ouvir dizer, mas agora meus olhos te viram”. Significa, aqui, não propriamente ver a divindade (em Ex33,20 está claro que o homem morreria se visse a face de Deus, tal o esplendor da santidade divina: Moisés cobre a face e Elias, em 1Reis19, se esconde na fenda do rochedo até para escutar).
·           Na unidade somos um só ser (corpo e alma não se “separáveis”, embora possamos distinguir duas “forças” em nós). Nos 5 (e mais) sentidos e na articulação da palavra o homem todo (inteiro, completo) se aproxima ou se afasta de Deus – que está sempre presente e pode tirar água de terra árida (cf.Isaías). Mas somos surdos à sua voz e não falamos coisa com coisa. Marcos 7, nessa imagem do surdo-mudo, refere-se ao povo que se afastou do Senhor. O povo deveria ser “de Deus”, mas não “obedece” (na Bíblia= estar atento, à escuta, dar ouvidos, acolher no coração para ter atitudes de fé e amor). Obedecer, do latim ob-audire (a audição capaz de reconhecer a voz do Senhor: em hebraico shemá, em grego; akoúen).
·            Ouvir, escutar, ter uma (nova, especial, pessoal, diferente) percepção ou “experiência” de Deus, como a de Jó em 42,5 (ele até então tinha a religião transmitida pelos antigos, muitas vezes carregada de gestos incoerentes, mas no final do livro ele reconhece o “verdadeiro rosto” de Deus. No início de 1ªcarta de João a testemunha cita 3 “sentidos”, escutar, ver e tocar com as mãos. O texto fala de um novo “Gênesis”, nova criação (No princípio Deus...) : O que era desde o princípio, o que temos ouvido, o que temos visto com os nossos olhos, o que temos contemplado  e o que nossas mãos têm apalpado a respeito do Verbo da vida.

QUEM NÃO SE PÕE À ESCUTA NÃO “DIZ” O QUE É BOM
·           Tiago fala da segunda parte da “obediência” – sentido bíblico – como no Credo cristão: Pai todo-poderoso (o contrário seria: primeiro, um deus mitológico e mágico, que também tem filhos como na mitologia grega). Tiago fala da vida concreta, da vida comum. Ele dá um exemplo cabível na reunião do culto cristão (certamente num encontro dominical quando se faz memória da ressurreição do Mestre).
·           Mas, quem de nós já não fez escolhas como a descrita por Tiago? Ele usa o exemplo mais comum: em geral, preferios só frequentar a casa de quem tem posses não a daqueles “sem eira nem beira”. Este provérbio brasileiro fala literalmente da “Senzala” – onde não há proprietários de terras nem casa com beiral, isto é com aquele enfeite do telhado (só existia na “Casa Grande”). Preferimos não visitar amigos que estão fracos ou doentes (o Mestre dizia ter vindo para curar os doentes pois os sadios não precisam de médico). É claro que é mais agradável bater papo sobre amenidades com gente parecida com apresentadores de TV. Mas é difícil nos aproximar de algum amigo ou parente bipolar, ou em  depressão, ou que tem outras dores da alma ou do corpo. Recente anúncio televisivo da AACD fala dessa tendência a tornar “invisíveis” os portadores de deficiência: a propaganda, criação da agência Z+, conclui com a frase:  “a maior limitação de um deficiente não está nele. Pode estar em você”. Aí está uma boa atualização da carta de Tiago.

oooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo
(*) Prof. (USU-Rio) mestre (educação/ teologia/ t.moral). consultoria: fesomor2@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário