.

I N T E R N A U T A S -M I S S I O N Á R I O S

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Comentário Prof. Fernando


Comentário Prof. Fernando (*) 4ºdomingo Advento    23 dez de 2012   e:
24/25 dez de 2012]
– NATAL de nosso senhor JESUS CRISTO ]

Dia 23.12.2012 – Domingo= (Mq 5,1-4 a ----- Sl 80 ----- Hb 10,5-10 ----- Lc 1,39-45)
RESUMO :
Levantando-se, Maria pôs-se a caminho em direção a uma cidade... E cumprimentou Isabel que diz:
Abençoada és entre as mulheres e abençoado é o fruto do teu ventre! Como pode ser isso: que venha em a mim a mãe do meu senhor?  Bem-aventurada aquela que acreditou
Porque vai se realizar o que lhe foi dito pelo senhor.

 24/25dezembro - Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo
VIGÍLIA   salmo 89 --- Is 62,1-5 --- At 13,14-25 --- Mt 1,1-25
NOITE    salmo 96 --- Is 9,-6 --- Tt 2,11-14 --- Lc 2,1-14
AURORA   salmo 97 --- Is 62,1-12 --- Tt 3,4-7 --- Lc 2,15-20
DIA      salmo 98 --- Is 52,7-10 --- Hb 1,1-6 --- Jo 1,1-18

A liturgia de Tradição Católica prevê 4 celebrações na véspera e no dia de Natal: Vigília, Noite (a antiga “missa do galo”), Aurora e Dia. De fato, – o “Emmanuel” = “Deus está conosco”. O Mistério da Encarnação ocorre: - no silêncio - como no coração de Maria, de José e dos Pastores que vigiam à noite; - no meio da escuridão (da vida) onde “brilhou uma grande luz” (nas palavras de Isaías); - na aurora, pois Jesus inicia o Tempo novo, como um novo Sol que começa a raiar no horizonte; - no dia pleno: 25 dez foi a data escolhida para o aniversário de Jesus, humano que, como diz Paulo (v.Col 1,15) é imagem de Deus invisível (quem me vê - vê o Pai -Jo14,9).

·         O último domingo de preparação ao Natal apresenta a mãe do Salvador, a mulher simples mas atenta aos sinais. Ela sai de casa para ajudar sua prima, grávida de 6 meses numa “gravidez de risco” - diríamos hoje. Maria pôs-se a caminho e foi à casa de Isabel que lhe faz o melhor resumo que os evangelhos têm sobre Maria, a bem-aventurada – porque acreditou, pois Deus vai realizar sua Palavra. A grande característica de Maria é a Fé, ou Confiança. Ela continuou firme na aceitação de que Deus é mesmo bom, mesmo ao nos propor missões difíceis.
·         Das leituras do Natal destacamos o tema da Paz conforme o canto ouvido pelos pastores: Glória a Deus, no mais alto dos céus. Paz, na terra, aos homens a quem ELE abençoa (ou: quer bem, ama). A expressão “boa vontade” habitualmente se atribui “aos homens”, mas outra versão a refere ao autor de toda benevolência, como antes anunciou outro anjo: Não temais! trago notícias de grande alegria para vós e para todo o povo: hoje nasceu para vós o Salvador, o Cristo, o Senhor.
·         O tempo de Natal em culturas e sociedades pluralistas ainda conserva algo do sentido original da festa: certo clima de paz, alegria e benevolência. Nessa época do ano há campanhas beneficentes, doações de brinquedos para crianças pobres, encontros e confraternizações de colegas de trabalho, amigos ou parentes. Com freqüência as famílias se ampliam em ceias e almoços, reunindo filhos, pais, primos, tios, avós. As Boas Festas no final de ano expressam o desejo comum de viver em fraternidade, harmonia e paz. Faz parte do reencontro de famílias alguma dose de pequenas rixas como se todos voltassem aos tempos infantis...
·         O Natal sinaliza a Paz tão sonhada por todos. Porque a vida tem conflitos, lutas e sofrimentos. Dificuldades entremeiam momentos de alegria ou esperança. Maiores ou menores, internas ou exteriores são as pressões sofridas: são limitações pessoais, financeiras ou psicológicas, ou as situações como desemprego e doença. Há povos inteiros padecendo a guerra e milhares se tornam refugiados no estrangeiro. Mas todo mundo busca ardentemente Paz e prosperidade.
·         No Natal a figura de um recém-nascido, frágil e pobrezinho é, por si, a própria imagem da não violência. Contudo, novos Herodes continuam matando inocentes. Na tragédia de uma escola americana foram mortas 20 crianças e 8 adultos. Entre nós, no Brasil, tragédias diárias atingem crianças de rua, vítimas de balas perdidas, do crack e de outras drogas. Parece que tudo começa pelo desequilíbrio – de pessoas e de sociedades enlouquecidas. Falta a Paz. A que Ele iniciou no Natal e derramou naquela saudação de Ressuscitado: “A paz esteja convosco III”. No domingo à noite, dia 16, uma pequenina cidade americana reuniu famílias enlutadas, autoridades locais e nacionais e representantes de várias religiões e de tradições cristãs. Nós os vimos pela TV: juntos, famílias e religiosos, tendo ao lado agnósticos e não crentes, apresentaram suas orações ao único Deus, com palavras de diferentes textos sagrados e tradições. Foi um sinal dessa busca da Paz.
·         Que ele nos conceda a sua Paz. A Paz que não se reduz a imposições pela força das armas. Que não coincide necessariamente com vitórias políticas ou êxitos econômicos, mas se realiza pelos sinais anunciados por Isaías: o da criança inocente; o da luz dissolvendo a escuridão; o da harmonia entre os animais selvagens e domésticos. Essa última alegoria parece indicar a Paz entre os seres humanos. Que possamos, ao desejar “Feliz Natal”, ter uma Confiança, como a da mãe do Menino, acreditando na Bondade que se tornou um de nós, derramou seu Espírito de Paz para nos fazer filhos de Deus. Talvez assim sejamos também promotores da Paz.

ooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo
http://homiliadominical2.blogspot.com.br  (*) Prof.(Usu-Rio - educação, teologia e ética)

Nenhum comentário:

Postar um comentário