.

I N T E R N A U T A S -M I S S I O N Á R I O S

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Comentário Prof.Fernando


Comentário Prof.Fernando(*) dom-13 janeiro 2013 – para quê o batismo?
RESUMOS Is 42,1-7  At 10,34-38   Lc 3,15-16.21-22
● Para abrires os olhos dos cegos tirares os cativos da prisão, libertar quem vive nas trevas
Deus não faz distinção entre as pessoas, mas aceita quem o teme e pratica a justiça (em qualquer nação). Depois do batismo pregado por João, Jesus de Nazaré foi ungido por Deus com o Espírito Santo e com poder andou por toda a parte fazendo o bem; curava a todos, pois Deus estava com ele
Ele vos batizará no Espírito e no fogo. -- o céu se abriu e o Espírito Santo desceu (em forma visível de uma pomba); e veio a voz: "Tu és o meu Filho amado, em ti ponho o meu bem-querer.

O batismo de João era ritual de purificação e disso Jesus não precisava...
·                 No Batismo reúnem-se 2 Mistérios. A Palavra de Deus (o Verbo), o Filho, está presente no mistério do homem. E no homem Jesus de Nazaré está o mistério do Cristo (= Messias, o que vem em nome de Deus refazer nossa ligação com o Pai. No período de Nazaré durante a chamada “vida oculta” e até o Batismo no Jordão, a divindade está silenciosa. E ninguém sabe da sua missão. Era apenas o “filho do carpinteiro” como escreve Lucas ao apontar para a para sua genealogia: Jesus, ao iniciar seu ministério, tinha cerca de 30 anos. Como se acreditava, ele era filho de José, que era filho de Heli (3,23). O batismo é declaração pública sobre Jesus como o Ungido: eis o Cordeiro de Deus, aquele que tira o pecado do mundo. “Segundo alguns autores assim como, na encarnação, o Verbo se transforma em ‘Jesus’, assim também com a unção recebida no batismo ele se transforma no Cristo, isto é, o Ungido de Deus, o Messias: “Chama-se Cristo porque foi ungido pelo Pai com o Espírito Santo (Tertuliano, De Baptismo 7,1) (cf. R.Cantalamessa,Ungido pelo Espírito,15)
·                 O ritual proposto por João era de conversão de vida, como preparação para o “Reino” que estava para chegar. Jesus não precisava disso: ele era “o Reino” que chegava. Qual o significado, então, de ser batizado por João?
·                 O Batismo é o divisor de águas, início do período da “vida pública”: Então Jesus, pelo poder do Espírito, voltou para a Galiléia e a sua fama espalhou-se pela região. Ensinava nas sinagogas sendo glorificado por todos (Lc4,14-15). Marcos chama a atenção para a forte impressão que causava nos ouvintes: eles ficavam impressionados com o seu ensinamento, pois ensinava com quem tem autoridade e não como os escribas (Mc1,22). E Pedro fala desse começo (Atos 10,37-38): (...) após o batismo proclamado por João, esse Jesus, oriundo de Nazaré: sabeis como Deus lhe conferiu a unção do Espírito Santo e do poder. Ele passou por toda a parte fazendo o bem e curava todos que o diabo escravizava.
·                 “O Espírito, sem dúvida, estava sempre em Jesus. Mas não se revelou senão a partir do instante em que, a mandado do Pai, ele iniciou sua missão messiânica”.(...) João dissera do Verbo antes de se encarnar: “O Verbo era a verdadeira luz que, vindo ao mundo, ilumina todo homem”. (Jo 1, 9). Esta luz ficou oculta na humanidade de Jesus por trinta anos. Quando esta humanidade foi ungida pelo Espírito Santo no batismo do Jordão, a luz se revelou, cumprindo-se o que o profeta Isaias tinha dito: “O povo que jazia nas trevas viu uma grande luz; para os que jaziam na região sombria da morte levantou-se uma luz”. (Is 9,1). (...) Antes, ele era somente Jesus. Agora, ele é o Cristo, isto é, o Ungido de Deus”
(cf. Antônio A.de Miranda: www.catequisar.com.br/texto/colunas/antonio/03.htm).

Jesus de Nazaré era o Filho de Deus, da mesma substância do Pai. E nós?
·                 Ou cremos ou não cremos naquele que foi ungido por Deus para ser aquele que tira do mundo a maldade e a corrupção. Crer é ter o mesmo projeto: fazendo o bem e a todos livrando da escravidão do mal. A nós também foi dado sermos filhos:
- Todos os que são conduzidos pelo Espírito de Deus são filhos de Deus. O Espírito mesmo dá testemunho ao nosso espírito de que somos filhos de Deus. E, se filhos, também herdeiros, herdeiros de Deus e co-herdeiros de Cristo, contanto que soframos com ele, para que também com ele sejamos glorificados. (Rom 8,14.16-17)
- Serei para vós um Pai e vós sereis para mim filhos e filhas, diz o Senhor todo-poderoso (Is 52,11; Jr 31,9 citações em 2Cor 6,18)
- E, porque vós sois filhos, enviou Deus ao nosso coração o Espírito de seu Filho, que clama: Aba, Pai! (Gal 4,6)
- Vede que grande amor nos tem concedido o Pai, a ponto de sermos chamados filhos de Deus; e, de fato, somos filhos de Deus. Por essa razão, o mundo não nos conhece, porquanto não o conheceu a ele mesmo.  Amados, agora, somos filhos de Deus, e ainda não se manifestou o que haveremos de ser. Sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele, pois nós o veremos como ele é. (1Jo 3,1-2)

oooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo
http://homiliadominical2.blogspot.com.br  (*) Prof.(Usu-Rio) Educação, teologia e ética.

Nenhum comentário:

Postar um comentário