.

I N T E R N A U T A S -M I S S I O N Á R I O S

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Comentário Prof.Fernando


Comentário Prof.Fernando(*)                                                      10fevereiro2013
5ºcomum(cerca de 50 dias até a páscoa) p/Páscoa)
– agradeço vosso amor e vossa verdade (salmo 71) –

RESUMOS       Jr 1,4-5.17-19    Sl 71    1Cor 12,31-13,13    Lc 4,21-30
Sou apenas um homem de lábios impuros / Quem irá por nós? / Aqui estou! Envia-me
● o que vos transmiti foi o que eu mesmo recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, foi sepultado e ressuscitou ao terceiro dia; apareceu a Cefas, aos Doze e a mais de quinhentos de uma só vez (destes a maioria ainda vive, alguns já morreram); depois a Tiago e aos apóstolos todos juntos. Por último, apareceu também a mim, como a um abortivo. Ém resumo isso é o que eu e eles temos pregado e isso é o que crestes.
trabalhamos a noite inteira e nada pescamos, mas em atenção à tua palavra vou lançar as redes. E era tão grande a quantidade de peixes que as redes se rompiam. Tiago e João que eram filhos de Zebedeu e sócios de Simão, também ficaram espantados. Jesus disse a Simão: Não tenhas medo! De hoje em diante serás pescador de homens.

Seres humanos, ensaio e erro
·                     Todo ser humano tem os “lábios impuros”. Não sabemos abrir a boca sem deixar de prejudicar alguém. Ninguém é “puro”. É como se todos estivéssemos contaminados por uma epidemia mundial, como frequentemente se projeta em filmes de ficção científica. A isso foi dado o nome de “pecado original”. Ou a expressão bíblica: todos são “pecadores”. Não quer dizer que todos são maus e fazem o mal. Quer dizer que só “Deus é santo” e perfeito.
·                    No entanto, todos são também chamados a testemunhar o amor e a verdade (salmo). Basta responder: Ok, aqui estou, posso ser mensageiro dessa boa notícia. A fé, em resumo, é crer que aquele homem de Nazaré – como todo mundo – viveu, cresceu, morreu, foi sepultado. Mas ressuscitou conforme muitas testemunhas. Existe uma correia de transmissão entre os seres humanos, cada um passando adiante a mesma experiência do amor e da verdade.
Não tenham medo, apenas passem adiante esta mensagem
·                    Isso chega a assustar. Isso chega a dar medo. Como é que pode? O mais comum é o desânimo. O cansaço. “Trabalhamos a noite inteira, mas nada”. Somente na Fé (“em atenção à tua palavra”), confiando na Palavra continuamos o trabalho (com muitos sócios, além de Tiago e João, nessa empreitada humana da vida).
·                    Se escutássemos a Palavra e nele confiássemos, veríamos o exagero de boas conseqüências e resultados que acontecem (a ponto de quase arrebentar a humana rede que formamos com tanta gente).
·                    Se crêssemos confiando na sua Palavra não ficaríamos tão espantados (a ponto de ter medo) : não tenhas medo. Cada um de nós:
- Nós, homens de lábios impuros,
- nós, imperfeitos, mas aperfeiçoando nossas ciências e instrumentos – por mais sofisticados que sejam na era eletrônica, biônica e informática – com eles continuamos tateando como cegos esbarrando nas galáxias e nas microscópicas composições da matéria e da vida, entre partículas, vírus, DNAs, proteínas...
- nós, em guerra uns com os outros, iludidos pelo poder ou sucesso temporários,
- nós carregados de arrogância, que somos capazes de desprezar aqueles que são como nós, humanos...
·                    afinal, somos todos chamados a ser mensageiros da boa notícia. Basta aprender o “resumo” apresentado por Paulo aos coríntios. Basta saber ler a boa notícia (=evangelhos) e continuar nossos trabalhos, profissões e atividades.
·                    Basta crer e continuar “lançando as redes” diariamente para conseguir nosso alimento mas sendo também comunicadores da boa notícia para todos os demais seres humanos. Não somos trabalhadores apenas na pesca de peixes.

ooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo
 http://homiliadominical2.blogspot.com.br  (*) Prof.(Usu-Rio) Educação, teologia e ética fesomor2gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário