.

I N T E R N A U T A S -M I S S I O N Á R I O S

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Comentários-Prof.Fernando

Comentários-Prof.Fernando*Primeiro Domingo do Advento (2013/2014) ano litúrgico A
01 de dezembro de 2013

Saudades: atento ou preparado é aguardar, esperar
·                  Todo mundo já experimentou esperar na rodoviária, na estação, no aeroporto ou mesmo em casa: alguém vai chegar; estamos esperando á semanas ou meses, talvez anos. É uma pessoa muito querida que vamos reencontrar!!. Os profetas da bíblia referiam-se à vinda do Cristo (em grego – “Messias” em hebraico quer dizer o Ungido, o escolhido para trazer um novo Reino de paz e felicidade sem fim). Essa expectativa para que se realize a promessa nós a temos vivendo no tempo-espaço deste universo. O ciclo do “Advento-Natal” do filho de Maria é celebração anual para relembrar o Mistério da Encarnação ou Presença concreta de Deus no meio da história humana quando Ele se “tornou” um de nossa raça. É período destinado à meditação sobre uma “expectativa” que, mais que isso, é a Esperança da Vida plena e completa (o que, no vocabulário cristão, é o mesmo que “Ressurreição” ou recuperação – “edição revista e melhorada” – da vida).
·                  Em todas as culturas festas religiosas seguem o calendário anual, sobretudo em torno das estações, dos ciclos da natureza, na expectativa da boa colheita agrícola, crescimento dos rebanhos ou vitoria nas guerras. O cristianismo inovou, pois as celebraçõs e ciclos anuais (a chamada Liturgia, Ano Liturgico) tem finalidade pedagógica: ajudar-nos na contemplação do Mistério maior da Vida, que está embutido na existência humana enquanto iluminada pela Fé e confiança no “sopro” de Deus que fala (a Palavra) dentro de nós.
·                  A celebração do Natal com muitas (ou algumas) tradições e folclores serve para uma revisão de vida. Como estamos? Em boa saúde (principalmente interior, isto é, “revestidos de Cristo”)? Como ele, criamos paz em vez de “rivalidades”? geramos alegria e felicidade ou procuramols “encher a cara” “esquecer” desastres, desilusões ou frustrações? Em resumo:  entorpecidos, como dependentes químicos, ou cheios de atenção e carinho (conosco e com os que estão à nossa volta – familiares, amigos e outros companheiros de estrada?}.

Saudade do futuro: 1) a promessa; 2) o dia a dia; 3) a espera na Esperança
1)               Lemos em Isaías (cf.2,1-5): Ele há de julgar as nações e arguir numerosos povos; estes transformarão suas espadas em arados e suas lanças em foices; não pegarão em armas uns contra os outros e não mais travarão combate.
2)               Paulo, na carta aos Romanos (cf.13-1-14 ou, no LCR os versos 13e14): A noite já vai adiantada, o dia vem chegando; despojemo-nos das ações das trevas e vistamos as armas da luz. -- nada de glutonerias e bebedeiras, nem de orgias sexuais e imoralidades, nem de brigas e rivalidades. Ao contrário, revesti-vos do Senhor Jesus Cristo.
3)               Neste novo Ano Litúrgico (desde o advento, depois em 2014) o evangelho aos domingos do “ano A” segue o texto do evangelista Mateus. No 1ºdomingo do advento o Mestre de Nazaré pede atenção e vigilância aos seus ouvintes usando várias comparações tiradas de passagens bíblicas ou da vida comum: o “dilúvio” e Noé ou o fato de não poder prever quando pode aparecer um assalto ou roubo em casa: Eles nada perceberam até que veio o dilúvio -- Assim acontecerá também na vinda do Filho do Homem -- ficai atentos, porque não sabeis em que dia virá -- Por isso, também vós ficai preparados. Para concluir, aí está (numa tradução livre e adaptação) a meditação de um poeta (famoso na França): Jean Debruynne (1925-2006):

Ensina-nos a esperar

Deus,
Escolheste fazer-te esperar todo o  tempo do Advento.
Enquanto eu não gosto de esperar
Não gosto das filas de espera
Não gosto de esperar a minha vez
Não gosto de esperar o ônibus e o metrô
Não gosto de esperar para emitir um juízo
Não gosto de esperar o momento adequado
Não gosto de esperar mais um dia...

Eu não gosto de esperar
Porque não tenho tempo p’rá isso
E não vivo senão o instante...
Tu, aliás, bem sabes que tudo me leva a evitar a espera:
Cartões de crédito, autosserviços (ou self-services...)
Crediários, máquinas automáticas de venda
Telefonemas no celular e fotos digitais, intantâneos!!
Emails e torpedos pedindo resposta imediata
Cópias escaneadas nos computadores e smartphones
A TV , o noticiário nas rádios (até ouço dirigindo)
Aliás, nem preciso esperar as notícias: elas chegam antes.

Mas tu, Deus, escolheste fazer-te esperar o tempo de todo um Advento.
Porque fizeste da espera um espaço para o retorno e a conversão
O face a face com algo que estava oculto, o desgaste que não se gasta
A espera, somente a espera
A espera da espera
A intimidade com a espera que está dentro de nós
Porque só a espera revela a atenção
E só a atenção é capaz de amar.
Tudo já foi dado, na espera.
E para ti, Deus,
Esperar se conjuga amar ou orar.

ooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo

( * ) Prof./consultor (filos. educ. teol. ética) - fesomor2@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário