.

I N T E R N A U T A S -M I S S I O N Á R I O S

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Comentários-Prof.Fernando

Comentários-Prof.Fernando* 26ºdom.Comum(16ºp.Pent) - 28 set. 2014
O “sonho” de Deus é a sua “vontade”
.[1] A CARICATURA RIDÍCULA DE DEUS
·                    Fala-se demais em “fazer a vontade de Deus”. O que significa no “Pai Nosso” o pedido: “seja feita a tua vontade”. É comum escutarmos sobre a morte de alguém: “Deus levou”, “era a vontade de Deus”. Temos uma caricatura de Deus desenhada em nossa mente, em nosso coração, porque está profundamente impressa em nossas culturas há milhares de anos aquela figura barbuda do “velho” pai eterno, que pouco difere do Zeus da mitologia, aquele que jogava raios e trovões sobre os humanos. É a figura de um tirano idiota que se diverte “mandando” no destino e na história.
·                    Porém não deveria ser assim a imagem que fazemos do Criador e Redentor, tal como indicada na Bíblia. A não ser quando lemos os textos fora de contexto, em passagens isoladas, tomadas ao pé da letra. Ora, não é assim que procedemos nem quando conversamos entre nós ou quando lemos uma notícia no jornal. Por que seria diferente com a Palavra de Deus – que não é palavra no sentido comum como se tivesse sido ditada diretamente por ele. O conjunto dos livros da Bíblia contém muitos ensinamentos e episódios, na maioria transmitidos primeiro de forma oral e séculos mais tarde fixados em textos, diversos como as épocas em que foram escritos, como os estilos usados, como os escritores, legisladores, profetas, cujas redações foram ainda copiadas centenas de vezes e gravadas (não editadas ou impressas como hoje) em rolos de couro, em pergaminho, usando o material disponível naquele tempo.

[2] CADA UM É RESPONSÁVEL
As leituras do 26ºdomingo comum ou 16º após Pentecostes são tiradas de Ezequiel 18,25-28; Filipenses 2,1-11; Mateus 21,28-32. No Lecionário comum o “próprio21” acrescenta em Ezequiel os VV. 1-4 e 29-32 do cap.18. A liturgia ortodoxa celebra o 1ºdomingo de Lucas com a meditação sobre a pesca milagrosa – Lucas 5,1-11.
·                    Ainda em nossos dias muitos pensam que acontecimentos tristes, acidentes e outros tipos de sofrimento são devidos à culpa “acumulada” em gerações anteriores. Pagamos os crimes e pecados cometidos por nossos pais ou avós. E, ainda por cima, sobre esta “culpa” se adiciona a expressão: é a vontade de Deus...
·                    Ezequiel, dirigindo-se a seu povo que vive longe de sua terra, no exílio forçado de Babilônia, é um dos primeiros a criticar esta mentalidade fatalista. Como diz o texto de hoje: cada qual pode se converter ou se perverter. Nunca é tarde demais para dar meia-volta (é o que significa “converter-se”). E ninguém, ainda que procurando ser justo e bom, não está livre de fazer o mal...
·                    Em sua carta aos Filipenses Paulo mostra o melhor caminho para manter-se na direção certa lembrada por Ezequiel. “Ter o mesmo sentimento que Jesus Cristo” é desistir de sentir-se superior aos demais. Tendemos sempre a nos considerar melhores do que os outros. Nós somos os “justos”, esquecendo-nos de que somos todos “pecadores” e capazes de andar pelos desvios em todos os caminhos de nossa vida. E esquecendo-nos, sobretudo, de que somos todos filhos de um mesmo Pai. O único filho – o Filho único de Deus – que cumpriu plenamente o projeto divino para o ser humano, veio para servir e deu a própria vida pelos amigos, morrendo pela inveja dos poderosos, apoiados pelo desinteresse das massas que um dia aplaudiam, no outro gritavam: crucifica-o!
·                    O Batista – no qual acreditaram os odiados cobradores de impostos e as desprezadas prostitutas, diz Jesus (cf.texto do evangelho de hoje) – anunciava a vinda próxima do “Reino”. E Jesus anuncia que chegou ! - verso 31. Mas, o que é o “Reino” ou: o que significava esta expressão bíblica? Trata-se de um “mundo” em que afinal se realiza a “vontade de Deus (na parábola, v.31: qual dos dois filhos fez a vontade do Pai?). E qual é, segundo Jesus, a vontade do Pai? Há muitas definições e podemos aqui ler João 6,38ss: porque eu desci do céu para fazer a vontade daquele que me enviou e a vontade do pai é esta: Que nenhum daquels que me deu se perca, mas que o ressuscite no último dia. A “vontade de Deus”, portanto, é a ressurreição ou a vida em plenitude.

[3] FAZER O QUE DEUS PEDE: É MELHOR FAZER DO QUE FALAR
·                      A parábola está centrada no arrependimento. O contraste é nítido entre duas categorias de pessoas: as que sempre falam da religião, de Deus, da fé, mas, no fundo de seu coração não estão abertos à gratuidade do dom divino (Graça). Provavelmente os “sacerdotes e os anciãos do povo” tinham religião mas não a fé autêntica. Os verdadeiros crentes, mesmo que fossem “os publicanos” (odiados por serem considerados colaboradores dos romanos ao recolher os impostos) ou mesmo que fossem as prostitutas, são apontados na parábola como os primeiros no “Reino”. Para o Mestre de Nazaré o que conta não é a função ou posição social, nem o que os outros pensam, mas o fato de serem capazes de “dar meia volta”, isto é, de converter-se, acolhendo de coração aberto o anúncio do Reino.

oooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo

( * ) Prof.(1975 a 2012:filos/ educ/ teol/ ética) fesomor2@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário