.

I N T E R N A U T A S -M I S S I O N Á R I O S

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

3º DOMINGO COMUM - C

3º DOMINGO COMUM

24 de Janeiro – Ano C

Evangelho (Lc 1,1-4;4,14-21)


·     Jesus sendo puro e sendo consubstancial ao Pai, anunciou que pairava sobre Ele o Espírito Santo. Quanto a nós seres imperfeitos, temos de lutar a cada momento contra uma série de forças contrárias para podermos estar dignos da presença divina.  Continua

============================

...“ELE ME CONSAGROU COM A UNÇÃO PARA ANUNCIAR A BOA-NOVA AOS POBRES...” – Olívia Coutinho.

 

3º DOMINGO DO TEMPO COMUM

 Dia 24 de Janeiro de 2016

Evangelho de Lc 1,1-4;4,14-21

Neste terceiro domingo do tempo comum, somos agraciados com este belíssimo evangelho que é constituído por dois textos diferentes.
No primeiro texto, o evangelista Lucas, apresenta o início de sua obra, uma obra rica em detalhes, que tem como propósito, demonstrar a solidez e a credibilidade do fato histórico que marcou a história da humanidade: o surgimento de Jesus testemunhado por diversas  pessoas!  
O texto quer nos dizer, que depois  de um  estudo  minucioso e  de  se informar  cuidadosamente sobre a originalidade  dos acontecimentos,  Lucas iluminado pelo Espírito Santo, sente-se  impulsionado a escrever este fato histórico usando fontes escritas e verbais.
A intenção do escritor sagrado,  é relatar detalhadamente   a vida e o  ministério de Jesus, do seu  nascimento a  sua ascensão, apresentando-nos por tanto,  o caminho de Jesus como sendo o caminho  que trouxe o projeto de Deus para dentro da história humana.
A mensagem tem como destinatário, alguém, cujo nome é: “Teófilo”, que significa amigo de Deus. Podemos dizer então, que como amigos de Deus,  também nós, somos destinatários desta mensagem!
As palavras contidas neste texto, nos revelam a veracidade do testemunho dos evangelhos, assegurando-nos que eles não são fábulas, e sim, testemunho de fé daqueles que creram, que tiveram razões para crerem, e que  querem fazer com que outros  creiam, tendo razões para crerem.
O segundo texto, nos fala da palavra de Deus num contexto comunitário, quando Jesus dá o primeiro passo de seu ministério,  assumindo  publicamente o compromisso de trazer de volta ao convívio do Pai, a humanidade corrompida pelo pecado.
O episódio acontece numa sinagoga, precisamente em Nazaré, onde Jesus viveu grande parte de sua vida no anonimato. O relato nos diz, que ao  abrir as escrituras, Jesus encontra a passagem  onde o  Pai,  pela boca do  profeta Isaías, o declara preparado para dar início a sua missão: “O Espírito do Senhor está sobre mim, porque ele me consagrou com a unção para anunciar a boa nova aos pobres; enviou-me para proclamar a libertação aos cativos e aos cegos a recuperação da vista; para libertar aos oprimidos e para proclamar um ano de graça do Senhor”.
A partir de então, começa-se   a  desenvolver o projeto de Deus que  mudou a história da humanidade, com Jesus trazendo  a imagem de um Deus que é Pai e que nos ama incondicionalmente. E assim, o Antigo Testamento foi dando  lugar ao Novo, o Deus de amor, que se manifestou ao povo na simplicidade de uma criança, volta a se manifestar na  humildade do jovem de Nazaré  que se apresenta  com o firme propósito de assumir com veemência a árdua missão  que o Pai lhe confiara: Libertar o povo da escravidão do pecado!
Jesus estava ciente do caminho difícil que teria pela frente, mas a certeza de que o Espírito do Senhor estava sobre Ele, lhe dava a certeza do êxito da missão!
Ao longo de toda sua trajetória terrena, Jesus, em tudo que ia fazer, buscava  discernimento no  Pai,  por isto, Ele  sempre tinha: “a palavra certa, no momento certo, para a pessoa certa”.
Vemos no evangelho, que o povo, cheio de encantamento, percebe a diferença entre os ensinamentos  de Jesus e os  ensinamentos dos líderes religiosos daquela  época, que falavam apenas o que ouviam dos outros, enquanto que Jesus falava com autoridade,  falava daquilo que conhecia, ou seja: o que Ele ouvia do Pai!
Hoje, todos nós, somos convidados a conhecer a verdade que liberta e  a viver esta verdade! Fundamentados na palavra de Deus, vamos poder falar com autoridade,  tornando-nos pela força do Espírito Santo,  fonte de libertação para o outro!
 Em sua missão, Jesus iniciou uma nova criação, hoje, Ele coloca  em nossas mãos, a responsabilidade de dar continuidade a essa  missão: devolvendo a vida e libertando os oprimidos.
Quando embebedamos desta fonte de vida que é Jesus, vamos a cada dia nos tornando não somente apreciadores de suas palavras, mas principalmente anunciadores desta palavra, com o nosso testemunho de vida.

FIQUE NA PAZ DE JESUS! – Olivia Coutinho
Venha fazer parte do meu grupo no Facebook:

============================


O ESPÍRITO DO SENHOR REPOUSA SOBRE MIM


Este texto de Lucas faz parte de sua narrativa sobre o ministério de Jesus na Galiléia, sua terra.
Jesus, como judeu praticante, frequentava o culto aos sábados. Nesse dia, leu um texto do profeta Isaias (61,1-2), sobre a restauração de Israel. O texto fala sobre a unção de um profeta, mas também fica
subentendida a figura do Messias, no uso que Ele faz do texto.
Cria-se uma expectativa quando Jesus se senta para dar sua interpretação ao texto e Ele anuncia que "hoje" é o dia da realização dessas palavras. Entendemos que esse é o inicio do dia que continuará até sua ascensão, quando esse dia se tornará eterno. Os ouvintes ficam impressionados com sua pregação, até que alguém pergunta: "Não é esse o filho de José?"
Jesus se compara a dois grande profetas que serviram a não-israelitas, porque seu povo não os aceitou. Acrescenta que todo profeta que não é
aceito por seu povo, levará sua mensagem a estranhos, que os acolham. Os ouvintes sentem-se ameaçados por essas palavras e começam a ter idéias homicidas. Essa hostilidade não se realiza, pois Jesus precisa cumprir totalmente sua missão, para concretizar o plano de Deus.
Maria Cecilia

============================
Hoje se cumpriu esta profecia.
Jesus nos liberta. 

Jesus se manifesta hoje, em uma sinagoga em Nazaré, inaugurando assim seu ministério. Enquanto se realiza o culto, Jesus, na hora da leitura, lê um trecho da profecia de Isaías: “O Espírito do Senhor está sobre mim, porque ele me consagrou com a unção, para anunciar a Boa notícia aos pobres; enviou-me para proclamar a libertação aos presos e aos cegos a recuperação vista; para libertar os oprimidos, e para proclamar um ano de graça do Senhor.” Em seguida disse: “Hoje se realizou esta passagem da Escritura que acabastes de ouvir.” E diante da admiração de todos, Jesus falava como o Filho ungido e consagrado pelo Pai, não como as autoridades religiosas da época, “Ele ensinava como quem tem autoridade e não como os escribas”.
E ao se identificar como o Messias da profecia, Jesus se colocar a serviço dos pobres, se dedicando aos excluídos, abrindo-lhes os olhos, restaurando-lhes a dignidade, a vida que permanece para sempre. A palavra de Jesus é a luz que acaba com as trevas, libertando a todos da ideologia do poder, é a luz que libertadora, que traz esperança na prática do amor e da misericórdia. A Boa Nova de Jesus não exalta o poder, mas sim um ensinamento novo com alegria e esperança, que não afasta e nem oprime o povo, como era a doutrina dos fariseus e escribas. Jesus veio resgatar a todos que padeciam para inseri-los no Reino do Pai. Pois o Messias foi chamado, e veio para concretizar o projeto de libertação que o profeta Isaías anunciara.
Jesus nos conferiu poder de levar a Boa notícia a todos, quando nos convida a segui-lo:”Segue-me”, “Ide e proclamai”. Proclamação que deverá ser feita com palavras e ações, aderindo com firmeza ao projeto de Deus, se colocar a disposição com gratuidade. Qual seriam as nossas ações? Posso visitar um doente, levando conforto e esperança, não sendo preconceituosa (o), ouvindo que precisa ser ouvido, e falando quando necessário, participando da comunidade, de alguma pastoral com a qual nos identificamos, doando um tempinho de nossa vida, para colaborar com a nossa igreja, sendo dizimistas...
Qualquer atitude nossa de fazer o bem para alguém, é uma ação concreta de quem aderiu ao projeto de Cristo. Uma forma muito boa de descobrirmos se estamos seguindo os ensinamentos de Cristo, é naquele momento de maior dificuldade, quando estamos cheios de problemas, e às vezes não sabemos como agir, reagir. Um amigo um dia me disse, quando estou sem saber o que fazer, me pergunto: “O que faria Jesus, se ele estivesse no meu lugar?”. Quanta desgraça, quantas guerras, mortes, agressões, magoas, quantas atitudes não cristãs seriam evitadas, se boa parte das pessoas se fizesse essa pergunta. Não reagir em algumas situações, não é ser covarde, é entender o real sentido de ser seguidor e discípulo de Jesus Cristo, é ser livre.
Mª Elian.

============================

O Espírito do Senhor está sobre mim – José Salviano

Estando Jesus na sinagoga, Ele foi escolhido para fazer a leitura, a qual não foi outra senão um trecho do livro do profeta Isaías que dizia: "O Espírito do Senhor está sobre mim e Ele me consagrou para enviar a boa nova aos pobres, para proclamar a libertação aos presos e, aos cegos, a recuperação da vista; para dar liberdade aos oprimidos e proclamar o ano da graça do Senhor!"  Às palavras ditas pelo profeta muito tempo antes da chegada de Jesus eram repetidas agora pelo Messias que as complementa, dizendo aos presentes: "Tudo o que acabo de dizer, acaba de ser cumprido."
Este, na  verdade, foi o primeiro milagre realizado por Jesus Cristo. Como aquele texto foi escolhido? Resposta: pela graça de Deus, pois o seu espírito conduzia as ações de seu Filho Amado.
Uma vez tive uma dor insuportável na boca do estômago. Saí da escola onde lecionava e fui imediatamente ao Pronto Socorro. Ao ser atendido, uma jovem médica não sabendo me explicar a origem da dor, disse que iria me encaminhar para a endoscopia. Reagi negativamente e fui para casa. Abri o livro de medicina homeopática lá pelo meio aproximadamente, e foi exatamente na página que estava escrito: Cálculo biliar. Ali estava em detalhes todos os sintomas que eu acabara de sentir, e os seus respectivos remédios. Esse foi um dos milagres que já me aconteceram.
Com aquele gesto, Jesus se revelou  àqueles que o viram crescer e que conhecia a sua história.  E os surpreende!  Talvez muitos já tivessem ouvido histórias sobre o filho de José e Maria que era anunciado como o Messias, mas, certamente, não imaginariam que Ele fosse capaz de se anunciar dessa forma – era quase que uma audácia que não poderia ser tolerada pelos líderes judaicos.
As palavras do profeta anunciaram a missão que Jesus teria de  cumprir a partir daquele momento: recuperar as  vistas dos cegos, libertar os presos, fazer justiça aos oprimidos e, sobretudo, proclamar o Plano de Deus para a salvação de todos.  Este foi o primeiro anúncio da presença do Filho de Deus entre nós!
A comunidade de Nazaré não o receberia com alegria – ao contrário, tentou expulsá-lo.  Mas, Jesus continuou o seu caminho e essas palavras ditas em um tempo tão distante, ainda hoje ecoam e devem ser continuamente lembradas por nós: acaba-se de ser cumprida a profecia – o Espírito do Senhor está entre nós e é hora de endireitar os nossos caminhos, é hora de conversão para merecermos as promessas e a graça do Pai!
Convertei-vos e acredite nas escrituras!
José Salviano

============================


O ESPÍRITO DO SENHOR ESTÁ SOBRE MIM - José Salviano


O texto lido por Jesus não foi escolhido por ninguém, mais sim pelo próprio Deus. Assim, ao ler aquelas palavras na sinagoga, Jesus se apresentou, e anunciou a sua missão na Terra. E todos, sem dizer nenhuma palavra, concordaram com o que Ele disse. Porque nem sempre as palavras revelam o verdadeiro estado emocional da pessoa. Quando a amada pergunta: Você me ama? E faz esta pergunta exatamente porque anda desconfiada do contrário. Ele responde: é claro que te amo. Eu te amo muito! Mais ela não se convence...
         Ao contrário, aquele olhar especial, aquele abraço apertado e demorado, diz mais do que mil palavras. TU SABES QUE TE AMO MUUUITO!
         Assim, aquelas pessoas que ouviram a leitura proferida por Jesus, ficaram com olhar fixo nele, e com aquela atitude queriam dizer: nós acreditamos no que dissestes. Pois notamos que você é especial. É diferente do todos os presentes aqui...
         O Espírito de Deus paira sobre as águas... o Espírito de Deus está também em nós. E sua presença foi reforçada no batismo, pela confirmação ou crisma, e principalmente pela ordenação sacerdotal, por exemplo.
Então assim disse Jesus no dia em que fez a primeira ordenação sacerdotal:
“Assim como o Pai me enviou, eu também vos envio. Assoprando sobre eles, Jesus disse: Receba o Espírito Santo. A quem vocês perdoarem, serão perdoados. E a quem vocês não perdoarem, não serão perdoados...”
         É claro que não podemos comparar a presença do Espírito Santo em nós, com a presença do Espírito Santo que está em Jesus. Pois Jesus, o Pai, e o Espírito Santo, forma um único Deus que é uno e trino ao mesmo tempo.
Eu e o Pai somos um”... “A mim foi dado todo o poder no céu e na Terra...”   Foi por isso que Jesus afirmou que o Espírito de Deus estava com Ele e nele e por Ele.
         O Espírito de Deus está também em nós. Mora em nós. Em nosso corpo. Portanto, devemos honrar esta presença divina na nossa humilde pessoa.
"Não sabei vós que sois templo de Deus, e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus, que sois vós é santo" (1 Co 3.16, 17).
         É o espírito Santo quem nos inspira para escrever, para catequizar, para falar sobre as coisas de Deus, nos inspira para explicar aos nossos irmãos, a palavra da salvação.
         Um dia desses eu estava na missa de sábado, missa de preceito, e eis que chegou a hora da homilia. O padre simplesmente avisou os fiéis para que  prestassem atenção na leitura do texto da última parte do folheto dominical. Uma senhora leu com clareza e a bom tom, o referido texto, e em seguida seguiu-se a celebração.
         O que foi aquilo? Devem ter pensado alguns dos presentes: O padre está doente? O padre esta cansado? O padre está sem inspiração? O que aconteceu?
         Ora, o autor do sermão é o próprio Deus, mais as palavras são humanas. Elas podem ser ricas ou pobres dependendo das leituras feitas pelo evangelizador.
         O espírito de Deus nos inspira as  idéias a serem ditas ou escritas, mais as palavras e frases são nossas. E quanto MAIS NÓS LEMOS, mais e melhores frases e palavras brotarão da nossa mente, porque pensamos em frases.
         Os autores, ou escritores sagrados foram inspirados por Deus que os escolheu, e servindo-se deles, e agindo sobre eles, fez com escrevessem a palavra de Deus sob a Luz do Espírito Santo. Isso não quer dizer de jeito algum, que a nossa religião seja uma fé de livros. Não! O cristianismo é uma religião baseada na palavra viva, atual e atuante de Deus que nos foi revelada pela mente, pela boca dos profetas e escritores sagrados, e depois pelo seu próprio Filho Jesus Cristo. 
         Assim, o padre é um instrumento infalível de Deus. É infalível nos sacramentos e no conteúdo, porém, nós os paroquianos precisamos proporcionar a ele as condições propícias e necessárias para o exercício do seu ministério.  Ou seja, nós precisamos fazer a nossa parte, para que o sacerdote não tenha que fazê-la.  Por exemplo:  Se o padre tiver de fazer faxina, fazer a sua comida, lavar roupa, além de administrar a paróquia, e de dar assistência espiritual, que tempo lhe sobrará para preparar o seu sermão? Que tempo lhe sobrará para ler, para meditar, para sintonizar-se com Deus para poder transmitir a palavra comentada de forma satisfatória de forma que promoverá a conversão dos que a ouvem?
         Prezados irmãos. Deus nos fala com linguagem humana. Portanto, precisamos aprimorar a nossa linguagem, e isso se faz através da leitura diária.    
         Nossa mente precisa estar embebida da palavra de Deus, como uma esponja embebida em água. Mais não somente da palavra, como também, e principalmente, da explicação da palavra. E onde vamos encontrar essa explicação? Nos Sites e Blogs de Liturgia Diária como este que você está visitando neste momento, no Catecismo da Igreja Católica, na coleção Como Ler os Evangelhos, etc. Desculpe pois estamos fazendo uma repetição do que já escrevemos aqui. Mais os comerciais de TV fazem isso o tempo todo, e nós não reclamamos. Pelo contrário, hipnotizados pela repetição da propaganda, entramos no super-marcado e compramos coisas que nem precisamos. Portanto, as coisas importantes  do Reino dos Céus, precisam ser repetidas. Jesus fez isso direto.  Na liturgia temos repetições constantes, pois elas são necessárias.
         Que o Espírito de Deus esteja sempre conosco, para  que iluminados com a sua poderosa luz, possamos também iluminar os nossos irmãos que estão na escuridão. Amém.
José Salviano.

============================

O Espírito do Senhor está sobre mim - José Salviano





Estando Jesus na sinagoga, Ele foi escolhido para fazer a leitura, a qual não foi outra senão um trecho do livro do profeta Isaías que dizia: "O Espírito do Senhor está sobre mim e Ele me consagrou para enviar a boa nova aos pobres, para proclamar a libertação aos presos e, aos cegos, a recuperação da vista; para dar liberdade aos oprimidos e proclamar o ano da graça do Senhor!"  Às palavras ditas pelo profeta muito tempo antes da chegada de Jesus eram repetidas agora pelo Messias que as complementa, dizendo aos presentes: "Tudo o que acabo de dizer, acaba de ser cumprido."
Este, na  verdade, foi o primeiro milagre realizado por Jesus Cristo. Como aquele texto foi escolhido? Resposta: pela graça de Deus, pois o seu espírito conduzia as ações de seu Filho Amado.
Uma vez tive uma dor insuportável na boca do estômago. Saí da escola onde lecionava e fui imediatamente ao Pronto Socorro. Ao ser atendido, uma jovem médica não sabendo me explicar a origem da dor, disse que iria me encaminhar para a endoscopia. Reagi negativamente e fui para casa. Abri o livro de medicina homeopática lá pelo meio aproximadamente, e foi exatamente na página que estava escrito: Cálculo biliar. Ali estava em detalhes todos os sintomas que eu acabara de sentir, e os seus respectivos remédios. Esse foi um dos milagres que já me aconteceram.
Com aquele gesto, Jesus se revelou  àqueles que o viram crescer e que conhecia a sua história.  E os surpreende!  Talvez muitos já tivessem ouvido histórias sobre o filho de José e Maria que era anunciado como o Messias, mas, certamente, não imaginariam que Ele fosse capaz de se anunciar dessa forma – era quase que uma audácia que não poderia ser tolerada pelos líderes judaicos.
As palavras do profeta anunciaram a missão que Jesus teria de  cumprir a partir daquele momento: recuperar as  vistas dos cegos, libertar os presos, fazer justiça aos oprimidos e, sobretudo, proclamar o Plano de Deus para a salvação de todos.  Este foi o primeiro anúncio da presença do Filho de Deus entre nós!
A comunidade de Nazaré não o receberia com alegria – ao contrário, tentou expulsá-lo.  Mas, Jesus continuou o seu caminho e essas palavras ditas em um tempo tão distante, ainda hoje ecoam e devem ser continuamente lembradas por nós: acaba-se de ser cumprida a profecia – o Espírito do Senhor está entre nós e é hora de endireitar os nossos caminhos, é hora de conversão para merecermos as promessas e a graça do Pai!
Convertei-vos e acredite nas escrituras!

José Salviano.
============================

O ESPÍRITO DO SENHOR ESTÁ SOBRE MIM.” – Olívia Coutinho



Neste iniciar de um novo ano, quando ainda vivenciamos as alegrias do Santo Natal, a liturgia de hoje, vem nos agraciar com este belíssimo evangelho, que narra o inaugurar  de um novo tempo, quando Jesus, cheio do Espírito Santo,  sente-se pronto para  dar início a sua missão: trazer  de volta ao convívio do Pai, a humanidade corrompida pelo pecado.
A narrativa  nos diz, que numa sinagoga, aos arredores da Galileia, precisamente em Nazaré, onde Jesus  viveu boa  parte da sua vida no anonimato, Ele, ao abrir as escrituras, depara com a passagem  onde o  Pai,  pela boca do  profeta Isaías o revela: “ O espírito do senhor está sobre mim, porque ele me consagrou com a unção para anunciar a boa nova aos pobres; enviou-me para proclamar a libertação aos cativos e aos cegos a recuperação da vista; para libertar aos oprimidos e para proclamar um ano de graça do Senhor”.
Encorajado pelo Espírito do Senhor, Jesus, totalmente seguro, dá início ao seu ministério disposto a dar a vida por aqueles que o Pai lhe confiara!
A partir de então, começa a  se desenrolar o plano de Deus, um plano, que  mudaria  a história da humanidade, que a  transformaria em antes e depois!
Com Jesus trazendo  a imagem de um Deus que é Pai, um Pai bondoso misericordioso e compassivo, ao contrário da figura do Deus vingativo que pune  o pecador e a sua descendência, o Antigo Testamento dá lugar ao Novo!
O Deus de amor, que se manifestou ao povo na simplicidade de uma criança, volta a se manifestar na  humildade  do jovem de Nazaré,  que se apresenta diante de seus  conterrâneos, com o firme propósito de assumir com veemência a árdua missão  que a Ele fora  designada: dar ao povo de Deus um novo destino!
Jesus estava ciente do caminho difícil que teria pela frente, mas a certeza de que o Espírito do Senhor estava sobre Ele, lhe garantia o êxito da missão!
Podemos perceber que na história da salvação, tudo aconteceu passo a passo, começando pelo sim de Maria, passando pela  gruta de Belém, pelo repouso na pequena e pacata Nazaré, pelos desafios do caminho da cruz, chegando ao um desfecho feliz: a ressurreição de Jesus!
Ao longo de toda sua trajetória terrena, Jesus, antes de tudo que ia fazer, buscava o Pai,  por isto Ele  sempre tinha: “a palavra certa, no momento certo, para a pessoa certa”.
Vemos no evangelho de hoje, que o povo, cheio de encantamento,  percebe a  diferença entre os ensinamentos  de Jesus e os  ensinamentos dos líderes daquela época, que falavam apenas o que ouviam dos outros, enquanto que Jesus falava com autoridade,  falava daquilo que conhecia, ou seja: o que ouvia do Pai!
Em sua missão, Jesus iniciou uma nova criação, hoje, Ele coloca  em nossas mãos, a responsabilidade de dar continuidade a essa  missão libertadora, devolvendo a vida e libertando os oprimidos  por esta sociedade que tenta a qualquer custo abafar o seu grito.
Todos nós somos convidados a conhecer a verdade que liberta, a viver esta verdade, fundamentados na palavra de Deus, só assim, poderemos também falar com autoridade,  tornando-nos pela força do Espírito Santo,  fonte de libertação para o outro!
A ação libertadora de Jesus, nos corações de quem se abre  a  sua verdade, é transformadora,  é capaz de nos  libertar da  pior de todas as cegueiras: a cegueira de   não querer enxergar no outro a presença de Jesus!
Quando embebedamos desta fonte de vida que é Jesus, vamos a cada dia tornando não somente apreciadores de suas palavras, mas principalmente anunciadores desta palavra, com a nossa própria vivencia!

FIQUE NA PAZ DE JESUS! - Olívia

============================


A Escritura se cumpre também, hoje - Helena Serpa



 “ a Escritura se cumpre também, hoje"

Após ter sido batizado e depois, tentado no deserto, Jesus, cheio do
Espírito Santo, voltou para a Galiléia e iniciou a Sua vida pública. No
entanto, para isso, Ele teve o cuidado de fundamentar a Sua Missão
conforme as Escrituras anunciavam a Seu respeito por intermédio dos
profetas. Assumindo a cátedra, na Sinagoga, num dia de sábado, Ele
recordou para os judeus tudo o que estava posto no livro do profeta
Isaías sobre Ele mesmo, e se revestiu da Palavra ali profetizada como
alicerce para o Seu ministério. “O Espírito do Senhor está sobre mim,
porque ele me consagrou com a unção”. E completou depois de decodificar
o programa que lhe era proposto: “Hoje se cumpriu esta passagem da
Escritura”. Jesus não teve dúvidas sobre a Sua consagração e a
consciência de que o poder do Espírito Santo estava sobre si. Às vezes
nós podemos imaginar que Jesus se prevalecia da Sua condição divina para
desempenhar a Sua missão salvífica. No entanto, Ele como homem se
firmava na força que recebia do Pai e se apoderava do poder do Espírito
Santo de Deus para realizar os prodígios e milagres. A missão de Jesus,
porém, não terminou quando Ele, subindo aos céus, se tornou invisível
para nós. Ela continua através de nós, pois o Espírito Santo continua
entre nós e, hoje, a Escritura também se cumpre, quando assumimos o
programa da missão que Jesus cumpriu quando esteve aqui na terra. Os
pobres, os cativos, os cegos os oprimidos continuam esperando que alguém
se aposse da unção de Jesus e que cheio do Espírito Santo realize
também, prodígios e milagres entre eles. Somos apenas criaturas humanas
falhas e impotentes, mas, no poder do Espírito, nós podemos também,
fundamentados na Palavra dizer como Jesus: “Hoje se cumpriu esta
passagem da Escritura!” – Você acredita que pode também, hoje, libertar
cativos e curar cegos com o poder de Jesus no Espírito Santo? – Você
assume como missão e projeto de vida o que as Escrituras predizem? -
Você percebe que o Espírito do Senhor está sobre você?


Helena Serpa

============================

Hoje se cumpriu esta palavra da Escritura-Padre Queiroz



Hoje se cumpriu esta palavra da Escritura.
Este Evangelho narra o começo da vida pública de Jesus. Nele Jesus apresenta o seu programa. Em poucas palavras, ele resume toda a sua missão. Jesus veio à terra para “anunciar a Boa Nova aos pobres, proclamar a libertação aos cativos e aos cegos a recuperação da vista, para libertar os oprimidos e para proclamar um ano da graça do Senhor”.
O amor de Deus é uma sinfonia em dois movimentos que se completam e interferem mutuamente. Em primeiro lugar, o amor é um movimento vertical, ascendente e descendente. Jesus se referiu a esse movimento, quando disse que veio “anunciar a Boa Nova aos pobres... e proclamar o ano da graça do Senhor”.
O segundo movimento da sinfonia é horizontal, o relacionamento entre nós, que concretiza e realiza o vertical. “Se alguém disser: “Amo a Deus”, mas odeia o seu irmão, é mentiroso; pois quem não ama o seu irmão, a quem vê, não poderá amar a Deus, a quem não vê. Este é o mandamento que dele recebemos: quem ama a Deus, ame também seu irmão” (1Jo 4,20-21). Esse movimento horizontal, às vezes se torna vertical, sendo um verdadeiro “culto” a Deus.
Uma religião que quisesse chegar diretamente a Deus, sem passar pelo próximo, é uma ilusão, uma alienação espiritual, uma mentira.
Jesus privilegia os excluídos pela sociedade: Os pobres, os cativos, os cegos e os oprimidos... Isso significa andar na contramão da sociedade, que privilegia os não excluídos.
O “ano da graça do Senhor”, lá no profeta Isaías (Is 61,1-2), está expresso como “ano do agrado do Senhor”. Portanto é viver bem com Deus, obedecendo os seus mandamentos e fazendo a sua vontade.
No dia do nosso Batismo, nós também assumimos esse programa de Jesus como o nosso programa.
Os primeiros cristãos procuraram por em prática esse programa integralmente.
Foi o cumprimento desse programa que custou a morte para Jesus, e para milhares de mártires da História de Igreja. Apesar disso, a Igreja não desiste de colocá-lo em prática e de lutar para que ele assumido por toda a sociedade.
Está aí o grande desafio para nós, a fim de que aconteça no mundo o Natal. Em outras palavras, para que aconteça a Epifania de Cristo.
Jesus mistura a dedicação ao corpo e a dedicação à alma. Ele não separa as duas atividades. Naturalmente, quer que nós também não as separemos. De fato, quem ama verdadeiramente uma pessoa, não ama só a alma ou só o corpo dela, mas a pessoa inteira. E esse amor inclui também a proteção à natureza.
Diz uma fábula que certa vez Buda estava sentado no chão, ao pé de uma árvore, em oração. Ele tinha as pernas encolhidas e cruzadas, como fazem os orientais quando vão rezar.
Nisto chegou uma rolinha. Ela estava cansada de tanto voar, porque um gavião estava correndo atrás dela, querendo devorá-la.
Buda, mais que depressa, pegou a rolinha e a escondeu dentro do seu paletó. Nisto chegou o gavião e disse a ele: “Dê-me essa rolinha. Eu sou carnívoro e preciso dela para comer”.
Buda pensou: É verdade a rolinha faz parte da cadeia alimentar desse gavião. Mas ele queria salvar a rolinha; então disse ao gavião: “Vamos fazer uma troca: eu dou para você uma parte do meu corpo correspondente à esta rolinha”. O gavião concordou.
Apareceu uma balança, daquelas de dois pratos, e Buda pôs a rolinha num prato e a sua pesada mão no outro. Mas, para surpresa sua, a balança continuou caída para o lado da rolinha. Então ele pôs o seu braço o braço todo no prato... Nada. Colocou o outro braço... Também nada.
Então Buda sentou-se no prato da balança. Aí ela se equilibrou: os dois pratos ficaram na mesma altura.
Nesta hora, Buda disse ao gavião: “Sou todo seu. Pode levar-me. Mas não toque na rolinha”.
A nossa felicidade, a nossa vida, custou a morte de Jesus, como oferta total dele por nós. Amar não é dar coisas ao próximo, mas buscar a sua felicidade, mesmo que para isso precisemos sacrificar a nossa vida. “Ninguém tem maior amor do que aquele dá a vida por seus amigos” (Jo 15,13).
O amor só é verdadeiro se inclui, desde o começo, uma doação da vida. O amor, ou é total, ou não é amor. Amor parcial não existe, é apenas caricatura de amor. Quando vemos um mendigo na rua e lhe damos um trocado, ou apenas um sorriso, não estamos dando apenas um trocado ou um sorriso a ele, mas nesses gestos está embutida a nossa vida toda, doada a ele ou ela, se precisar. Na hora lhe damos apenas um trocado ou um sorriso, por é só disso que o mendigo precisa.
Maria Santíssima, a discípula fiel do Senhor, viveu de corpo e alma esse programa de Jesus e nosso. Que ela nos ajude!
Hoje se cumpriu esta palavra da Escritura.

============================

Hoje se cumpriu esta palavra da Escritura-Missionários Claretianos

Hoje se cumpriu esta palavra da Escritura.
No evangelho de hoje, Jesus é apresentado como aquele que tem em si a posse do Espírito Santo. Isto significa que sua pregação está fundamentada por Deus e, por conseqüência, é dirigida aos privilegiados do Pai: os necessitados. A intenção, pois, deste relato de Lucas é dar a conhecer o rosto de Jesus, que é assumido como o “Salvador”.

Esta concepção salvífica de Jesus é evidenciada ao longo do evangelho de Lucas (por exemplo, Jesus nas bem aventuranças se dirige aos pobres, aos que passam fome e choram de verdade) e isso é de grande importância, porque com isso quer expressar que com Jesus a promessa de salvação chegou ao seu pleno cumprimento.

Na ação solidária e fraterna de Jesus para com os pobres e pecadores são expressos, desde já, os sinais eloqüentes da presença salvifica e libertadora de Deus na história; quer dizer, que em Jesus se cumprem as esperanças mais profundas do povo cristão e se torna realidade o Reino de Deus.

É importante que reconheçamos em Jesus sua capacidade salvífica, a qual se expressa eficazmente no amor desinteressado pelos pobres. Nossa fé está respaldada na fé em Jesus e por esse mesmo amor?
Missionários Claretianos




A passagem da Escritura se cumpriu.

“O Espírito do Senhor está sobre mim, porque ele me consagrou com a unção para anunciar a Boa-nova aos pobres; enviou-me para proclamar a libertação aos cativos e aos cegos a recuperação da vista; para libertar os oprimidos e para proclamar um ano da graça do Senhor”.
“Hoje se cumpriu esta passagem da Escritura que acabastes de ouvir”.
Vamos refletir hoje sobre outra passagem da escritura, proferida pelo próprio Jesus Cristo, no dia em que Ele anunciou o que iria acontecer no fim do mundo.
“Logo depois da tribulação daqueles dias, escurecerá o sol, e a lua não dará a sua luz; as estrelas cairão do céu e os poderes dos céus serão abalados. Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem, e todas as tribos da terra se lamentarão, e verão vir o Filho do homem sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória. E ele enviará os seus anjos com grande clangor de trombeta, os quais lhe ajuntarão os escolhidos desde os quatro ventos, de uma à outra extremidade dos céus.
Quando seria isso? Será que isso já não começou a acontecer com o Efeito Estufa?
Os dirigentes do Mundo estiveram reunidos recentemente (2009) a fim de encontrar uma solução para o problema universal do Efeito Estufa que se agrava a cada mês que passa: Redução das calotas polares, seca em uns lugares e chuvas torrenciais em outros, que causam enchentes que destroem as moradias dos nossos irmãos menos favorecidos pela sorte, entre outros tantos efeitos desastrosos. Muita gente já morreu. Quantos ainda terão de morrer para que possa sensibilizar o ser humano de que a situação é mais grave do que se pensa?
Aqueles que mais poluem a atmosfera não conseguiram firmar um acordo de redução da emissão de poluentes, para não desacelerar as economias dos seus referidos países. Mas acontece que aquelas potências econômicas serão atingidas mais cedo ou mais tarde pelas catástrofes geradas pelo Efeito Estufa. E isso vai acontecer exatamente em um momento em que já não se terá mais controle da situação.
Ninguém está interessado na redução da produção industrial mundial, pois a mesma iria causar uma crise econômica maior de que todas já ocorridas na história da humanidade. O que estamos precisando é de uma produção industrial que não jogue tantos poluentes na atmosfera. Ora! Se o homem já foi capaz de ir à Lua, será que não tem o poder de inventar filtros eficientes para as suas indústrias? Eu creio que sim. Desculpem, mas acho que só está faltando um pouco de bom senso. Não é possível viver somente no presente. Vamos pensar nas gerações futuras, vamos pensar nos nossos netos e nos nossos descendentes.
Porque o bom senso fala mais alto. Então, se deveria investir mais recursos no sentido de encontrar uma ou mais soluções para que fosse reduzida a emissão de poluentes, sem prejudicar a produção industrial e a economia de nenhum pais da Terra.
Temos grande admiração e respeito pelo jovem presidente dos Estados Unidos (2010), e por isso acreditamos nas suas boas intenções. Do mesmo modo, respeitamos e admiramos o povo chinês pela sua enorme competência, na reciclagem e na preservação do meio ambiente. Por isso esperamos e rezamos para juntos, eles encontrem uma solução para reduzir a emissão de poluentes, sem prejudicar a produção industrial e a economia mundial. Amém?
Sal.


Nenhum comentário:

Postar um comentário